segunda-feira, setembro 26

Comentário: Vereador(a) ausente, mudo e surdo serve para que?

Posted by Jackson Souza on 16:34 | No comments

    A cand. a prefeita de Senador Sá falou em palanque "Não sou de falar, mas de fazer...". Uma legisladora com oito anos de mandato dizer isso é no mínimo hilário. A mesma com todo esse tempo não discute projetos, não apresenta projetos, não discute assuntos pernitentes de Senador Sá e nem da própria localodade que reside (Serrota), não aborda requerimentos, não aponta problemas na cidade nem busca soluções.
    A arma de um legislador municipal é principalmente a voz  para argumentar com o povo, para defender ideias, apresentar projetos e requerimentos, defender uma opinião e ponto de vista com os colegas parlamentares e após mostrar serviço com o povo e na câmara municipal a voz (FALAR) é de extrema importancia para cobrar do executivo o cumprimentos de suas obrigações e a execução dos projetos e requerimentos já discutidos e aprovados na "casa do povo". Assim, é sim necessário falar, elaborar projetos e etc na vida legislativa. Ai vem dizer "vai trabalhar como trabalhou sendo vereadora" um argumento desse faz, pelo menos eu, ter ainda mais certeza que não voto nesta opção, pois olho para todo o seu mandato legislativo e penso será assim no executivo?

   Vereador tem que ser ativo, falante e presente não apenas nas sessões, mas na sociedade. Vereador ausente, mudo, surdo e que não importa-se com a população serve para que? Nem para enfeitar o plenário!

PARA QUEM NÃO SABE:
   Mas, o que faz o vereador?Enquanto agente político, ele faz parte do poder legislativo, sendo eleito por meio de eleições diretas e, dessa forma, escolhido pela população para ser seu representante. Esta noção de representante da sociedade está entre as noções mais caras dentre suas funções, pois as demandas sociais, os interesses da coletividade e dos grupos devem ser objeto de análise dos vereadores e de seus assessores na elaboração de projetos de leis, os quais devem ser submetidos ao voto da assembleia (câmara municipal). Dessa forma, são responsáveis pela elaboração, discussão e votação de leis para a municipalidade, propondo-se benfeitorias, obras e serviços para o bem-estar da vida da população em geral. Os vereadores, dentre outras funções, também são responsáveis pela fiscalização das ações tomadas pelo poder executivo, isto é, pelo prefeito, cabendo-lhes a responsabilidade de acompanhar a administração municipal, principalmente no tocante ao cumprimento da lei e da boa aplicação e gestão do erário, ou seja, do dinheiro público.

           Quanto à dinâmica das discussões e votações nas sessões, os vereadores organizam-se entre partidos que são considerados da base do governo (não apenas aquele do qual o prefeito faz parte, mas também outros que aderem ao modelo de governo da atual gestão) e os que são considerados de oposição. Vale dizer que o fato de um vereador ser da oposição não significa que ele sempre se posicionará contra as medidas propostas pelo prefeito ou pelos partidos de base. O contrário também é verdadeiro, uma vez que a base poderá não aprovar alguma medida do poder executivo. O que se espera, pelo menos em tese, é que o posicionamento dos parlamentares sempre seja pautado pelo interesse da coletividade (isto é, pela racionalidade na análise dos projetos), e não apenas em termos partidários, da disputa política.
   

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Atenção!
Ao comentar, escolha as palavras corretas para que seu comentário atinja seu objetivo, expor sua opinião sobre determinado assunto.
Os comentários passaram por moderação da redação e serão publicados, independente do seu conteúdo, caso o comentarista tenha uma identificação válida!
Obrigado por comentar!